Inscreva-se

Inscreva-se

Como conseguir os melhores talentos na área da inteligência artificial empresarial?

Back to search results

Quer que os melhores funcionários de inteligência artificial (IA) empresarial trabalhem para o seu negócio? Terá de enfrentar alguma competição. Está a ter lugar uma revolução na área da IA empresarial, mas será que há talento com competência em número suficiente para que possa aproveitar?

A empresa de investigação e consultoria Gartner afirma que, em 2020, a IA fará parte de quase todos os novos produtos e serviços. Até 2025, o mercado de IA crescerá 59 mil milhões de dólares (44 mil milhões de libras) em todo o mundo, com a maior fatia das receitas a dever-se ao uso de IA nas empresas.

Um mercado em crescimento

De acordo com o relatório de QI Digital da PwC, a rede de serviços profissionais, apenas 20% dos executivos disseram que as suas organizações dispunham das competências necessárias para serem bem-sucedidos em matéria de IA. Em 2017, a empresa de serviços profissionais Ernst and Young revelou que 56% dos profissionais experientes na área da IA afirmaram que a falta de talento era a maior barreira à implementação no seio das operações empresariais.

“Em 2017, quando as empresas tentaram definir formas de integrar a IA nas suas operações, viram esses esforços dificultados pela falta de especialistas com o conhecimento necessário da tecnologia. É uma questão de pessoal”, afirmou Chris Mazzei, o chefe das tecnologias globais de inovação da Ernst and Young e diretor executivo global para a análise empresarial.

Estabeleceu-se um padrão, com as gigantes tecnológicas de Sillicon Valley, como o Facebook e a Google, a captarem o talento. Isto significa que as empresas têm um grande problema: os especialistas em IA são poucos para responderem à procura. Outra questão é que os salários daqueles que têm competência suficiente no domínio da IA para fazer a diferença são altos.

Arshak Navruzyan, responsável pela tecnologia na startup de IA Sentient Technology, afirma: “As empresas não serão conhecidas pelo seu trabalho com a Inteligência Artificial. Neste momento, quem quer trabalhar em IA, vai para empresas como a Google, a Open IA ou o Facebook.

A maioria das empresas listadas na Fortune precisa de pensar sobre como tornar-se atraente para os investigadores da área da aprendizagem automática e para os cientistas de dados. Como podem reunir talento suficiente neste domínio para fazer a diferença no que se refere aos problemas empresariais que querem resolver?

Como pode a sua empresa competir e atrair os melhores na área da IA empresarial para o seu negócio? De seguida, apresento seis pontos que deve ter em conta

Reflita sobre a sua estratégia de recrutamento

Será mais fácil contratar engenheiros inexperientes do que especialistas em aprendizagem automática que tenham desenvolvido competências em IA e que têm experiência na matéria. Isto significa que a sua empresa poderá querer contratar pessoas que demonstrem um compromisso com a aprendizagem no local de trabalho e que possam crescer num papel centrado na IA.

Contudo, se o seu negócio está a pensar seriamente em IA, a empresa beneficiará se puder contar com pessoas muito experientes em lugares de chefia.

Além disso, se a sua empresa quiser arriscar e investir em IA, vai ter de tratar a questão como uma competência central. Não se trata apenas de criar um “laboratório de IA”. Se quiser que o seu negócio seja bem-sucedido, terá de fazer um investimento importante, com vista a incentivar e a atrair para a sua empresa talento e experiência em matéria de IA, para que estas pessoas possam depois construir uma carreira na sua empresa.

Faça parcerias com as universidades e centros de investigação

Está à procura dos melhores talentos em matéria de IA empresarial? Experimente procurar nas universidades e centros de investigação, para identificar as pessoas que possam já ter alguma experiência prática em domínios que fazem falta à sua empresa.

A sua empresa também poderia construir uma relação com as universidades que se especializam em IA e seria a primeira da fila quando chegasse o momento de recrutar recém-formados com competências na área.

Procure talentos por via de maratonas de programação e o patrocínio de eventos

As maratonas de programação reúnem as pessoas com formação técnica para resolver problemas e encontrar soluções de codificação. Estas são também uma excelente forma de reunir num único sítio os melhores talentos criativos no domínio da programação.

Os recrutadores que frequentam estes eventos conseguem entrevistar pessoas no local, se estas demonstrarem que são talentosas e que têm aptidão e paixão pela tecnologia com que estas empresas querem que elas trabalhem todos os dias. Estes eventos complementam outros, como as feiras de emprego, e reúnem pessoas que têm experiência com programação e que estão muito conscientes do que estão a fazer.

A sua empresa também pode optar por patrocinar eventos, conferências ou competições de IA para atrair talentos internacionais na área, bem como para estabelecer uma reputação enquanto apoiantes da IA. O patrocínio de um evento pode potencialmente ajudar a sua empresa a criar ligações com as pessoas certas, já que demonstrará a autoridade certa perante possíveis futuros trabalhadores e ganhará credibilidade e visibilidade.

Contrate talentos de programas de formação centrados na IA

Em resposta à maior procura de talentos com competência na área da IA empresarial, as instituições de educação estão a responder à procura com a oferta de cursos especializados, que treinam as pessoas para encontrarem empregos. Vale a pena explorar esta avenida para procurar talentos especiais.

Recentemente, a Microsoft abriu ao público um Programa Profissional em IA, criado para ensinar competências desenhadas para o mercado de trabalho no domínio da IA e da ciência dos dados, por via de cursos em linha, que incluem laboratórios interativos e formação por especialistas. Os estudantes que conseguirem completar com sucesso o percurso educativo recebem um certificado digital, que podem acrescentar aos currículos.

Susan Dumais, uma distinta cientista e diretora adjunta da equipa da Microsoft para a Investigação em IA, afirma: “A IA é cada vez mais importante para a forma como os nossos produtos e serviços são desenvolvidos e distribuídos, e o mesmo se aplica aos nossos clientes. Estamos todos fundamentalmente interessados em desenvolver talento que seja capaz de construir, perceber e desenhar sistemas que tenham a IA como componente central.

Formar os colaboradores para papéis na área da IA empresarial

Em vez de contratar vários funcionários novos, talvez seja melhor formar os funcionários que já trabalham na empresa. Ao atualizar as competências dos engenheiros existentes e ao centrar a atenção naqueles que já fazem parte da equipa estará certamente a eliminar o risco de as novas contratações não resultarem.

A sua empresa poderá fazer isto por via de programas de formação empresarial ou até por via de formadores externos. Há também a opção dos estágios e da orientação para a atualização das competências dos membros júnior da equipa.

A IA não se limita ao recrutamento, implica uma mudança de cultura

De acordo com a PwC, é crucial alinhar a inovação em IA com objetivos estratégicos e com indicadores de desempenho, em vez de dispor apenas de iniciativas isoladas. Não chega criar projetos-piloto – é necessário lançar um olhar atento à forma como a IA pode perturbar os negócios, para ver que ameaças e que oportunidades podem surgir neste contexto.

Com tempo, esforço e orçamento, a sua empresa deverá criar uma forma de encontrar pessoas com as competências em IA pretendidas. Mas isso é apenas o princípio. Se popularidade da IA crescer como os especialistas sugerem, não vai ser suficiente ter selecionado as pessoas que vão lidar com os aspetos técnicos e comerciais da IA.

Não se trata apenas de ter as pessoas com as competências certas – tornar a IA numa parte central das conversas em matéria de tecnologia, de desenvolvimento empresarial e de estratégias de execução implica uma mudança cultural.