Inscreva-se

Inscreva-se

A chave para a sustentabilidade: Modelos de Negócio Atuais

Back to search results

Colegas de trabalho sentados

Desde o início dos tempos, que nós, os Humanos, desenvolvemos diferentes formas de vivermos, de criarmos riqueza e sustentabilidade. A criatividade é apontada como a chave da nossa sobrevivência, como tal, a forma como obtemos, criamos, desenvolvemos e comercializamos produtos e/ou serviços tem evoluído à velocidade da nossa criatividade, ou seja, exponencialmente.

A criatividade, a vontade de ser único e fazer diferente são características que mulheres e homens tentam incutir nos seus negócios para serem mais competitivos e encontrarem uma fórmula (em que todos ganhem) que lhes permita alcançar rentabilidade e sustentabilidade.

Uma das primeiras decisões que as organizações têm de tomar passa por determinar o modelo de negócio que vão implementar, qual o produto ou serviço que vão produzir, como o vão produzir, como o vão disponibilizar e a quem o vão disponibilizar.

O modelo de negócio escolhido determina a forma como as empresas se organizam e operacionalizam as suas atividades para atingir os resultados pretendidos.

Tal como Charles Darwin disse: “It is not the strongest of the species that survives, not the most intelligent that survives. It is the one that is most adaptable to change“. Nos negócios, o mote é: observar e adaptar, adaptar e evoluir, evoluir e criar mais valor para os clientes.

Atualmente, fruto da globalização, o mundo evolui exponencialmente a cada minuto que passa, adaptação tem de ser rápida e é por isso que temos de avaliar o nosso caminho, o modelo de negócio que escolhemos e adaptá-lo às necessidades atuais e futuras.

“Insanidade é esperar resultados diferentes
fazendo sempre as mesmas coisas”.

Albert Einstein – Físico Teórico

Para isso é importante que tenhamos em mente, modelos de negócio, sejam passados, atuais ou de futuro que possam ajudar a tornar-nos competitivos e utilizarmos o/os mais adequados ao nosso contexto.

Segue a lista, uma breve explicação e exemplos de 20 modelos de negócio, clássicos e experimentados, que podem ser considerados consoante o contexto da organização:

  1. Programas de fidelidade
  2. Business to Business (B2B)
  3. Software as a service (SaaS)
  4. Time Sharing
  5. Outsourcing
  6. Franchising
  7. Permuta
  8. Leilão
  9. Agenciamento
  10. Aluguer
  11. Paywall
  12. Long tail
  13. Modelo de assinatura
  14. Marca branca
  15. Marca própria ou Private Label
  16. Compra um, oferece um
  17. Low Cost
  18. Marketplace
  19. Direct to Consumer (D2C)
  20. Adware

Programas de fidelidade

Os programas de fidelidade incentivam os clientes a voltar a comprar no mesmo local. Normalmente oferecem-se descontos em compras posteriores, acumuladas num cartão de cliente.

Business to Business

É um modelo de negócio que visa essencialmente a compras e venda de produtos ou serviços entre empresas, o foco está em comercializar a outra empresa.

Software-as-a-Service (SaaS)

Este modelo é semelhante ao aluguer de um produto. Neste caso, as organizações a desenvolvem um software aplicacional e a cobram uma taxa acordada por funcionalidades disponibilizadas e/ou utilização do software.

Time Sharing

Permite que pessoas ou empresas possam utilizar um local ou produto durante um determinado período de tempo. Ex: adquirir o usufruto de um mês por ano numa casa de férias.

Outsourcing

Muito comum nas organizações de Tecnologias de informação, este modelo de negócio consiste em contratar uma empresa para efetuar serviços onde existe falta de competências. Ex: contratar um serviço de contact center a terceiros para fazer a gestão de reclamações.

Franchising

Oferecer o direito de utilização de uma marca e da sua estrutura de gestão mediante um determinado valor fixo e/ou royalties Ex: MacDonalds, a utilização da marca, da estrutura de gestão e de toda a reputação associada.

Permuta

Este é um dos modelos mais antigos do mundo, pois refere-se à troca direta entre duas pessoas Ex: troca de uma moradia por um apartamento e um terreno.

Leilão

Permite colocar um produto a venda com um valor variável, definido pela maior oferta Ex: Ebay e a venda de produtos à maior oferta efetuada num determinado período de tempo.

Agenciamento

Negociar produtos ou serviços em nome de outras pessoas. Ex: Gestifute é uma agência de gestão de carreiras de profissionais desportivos, negocia os contratos do Cristiano Ronaldo.

Aluguer

Consiste em disponibilizar um produto por um período específico a um determinado valor monetário. Ex: alugar um carro num rent-a-car.

Paywall ou acesso pago

É um método de pretende restringir e permitir o acesso a conteúdos através do pagamento de uma subscrição. Ex: Acesso a notícias premium.

Long Tail

Disponibilizar e apresentar produtos que tem menores volumes de venda que os clientes querem comprar. Ex: Amazon ou worten, fnac, nos seus sites, quando um cliente compra um produto, apresentam outros produtos para comprar em conjunto a valores mais baixos.

Assinatura

Disponibiliza ao cliente um conjunto de produtos e serviços pagos através de uma mensalidade. Ex: Solinca ou Holmes Place com uma assinatura para o acesso ao ginásio; a nespresso com a assinatura para o envio de cafés para casa a um valor inferior ao standard.

Marca Branca

Este tipo de modelo baseia-se no desenvolvimento de um produto por uma entidade que pode ser comercializado, com pequenas alterações (design, embalagem, marca), por vários vendedores. Ex: combustível, garrafas de água, cereais entre outros.

Marca Própria ou Private Label

Neste caso, o produto pode ser produzido ou fabricado por terceiros, no entanto, pertence exclusivamente a uma marca e é comercializado apenas por uma loja ou cadeia de lojas. Ex: produtos da marca Continente apenas são comercializados nos Hipermercados da Sonae.

Compra um, oferece um

Este modelo tem como base a solidariedade, quando o comprador adquire um produto, outro produto ou uma determinada quantia é oferecida a uma instituição. Ex: A Tom Shoes a Soap Box entre outros utilizam este método para atrair publicidade e gerar empatia com o público.

Low cost

Consiste em disponibilizar produtos a valores mais baixos, muitas vezes reduzindo o produto ou serviço a níveis básicos, ou diminuindo fatores de qualidade que indubitavelmente reduzem o valor de produção. Ex: A marca Dacia que pertence à Renault, a transportadora Ryanair ou Easyjet, a tata motors são exemplos de empresas que disponibilizam produtos e/ou serviços a valores mais baixos.

Marketplace

É um método que disponibiliza uma plataforma com um conjunto de serviços para venda ou aluguer de produtos. Ex: A airbnb, a uber ou a worten, disponibilizam esses serviços, colocando uma plataforma digital à disposição de parceiros para que os seus clientes possam adquirir produtos.

Direct2Consumer

Consiste na venda direta do produtor ao cliente final, retirando as margens dos distribuidores. Ex: com a pandemia, muitas pequenas e médias empresas que fabricam produtos adaptaram-se ao digital e passaram a vender diretamente ao cliente final.

Adware

É a disponibilização gratuita de apps ou jogos que mostram anúncios de modo a monetizar as apps e os jogos baixados gratuitamente. Ex: Jogos.

“Write your principles in pen and your business model in pencil. “

Josh Kopelman – Capitalista de risco e filantropo

Os 20 modelos apresentados são clássicos, experimentados e deve ser considerados, não podem ser colocados de lado.

Na segunda parte deste artigo irei abordar os modelos de negócio futuros.