Inscreva-se

Inscreva-se

As dez perguntas a fazer ao contratar um advogado

Estratégia, Legal e Processos

As dez perguntas a fazer ao contratar um advogado

Contratar um bom advogado para a sua empresa ajudá-lo-á a evitar problemas no futuro e a garantir que cumpre com os regulamentos aplicáveis. Mas como é que se contrata a pessoa certa? Tome nota das perguntas que deve fazer ao contratar um advogado.

  • O que é que a sua empresa valoriza num advogado? Perícia, conhecimento da área, reputação?
  • Se procura um profissional jurídico para o seu negócio, deve conhecer as dez perguntas básicas a fazer ao contratar um advogado, a fim de fazer a escolha certa.

De acordo com o relatório do Observatório Jurídico da Deloitte, os aspetos mais valorizados na externalização de serviços jurídicos são os seguintes:

  • Especialização e experiência (73%).
  • Qualidade de serviço (71%).
  • Confiança pessoal (60%).

Para escolher o profissional adequado para o seu negócio, precisa de fazer a si próprio uma série de perguntas que o ajudarão a conhecer a sua experiência, dedicação e prestígio.

Todos os empresários, em algum momento, precisam de um advogado: para tratar de um litígio com um empregado, para elaborar um contrato com um fornecedor ou para defender uma marca ou patente.

O seu negócio, dependendo do setor em que se encontra e da dimensão da sua empresa, quer em termos de empregados ou de volume de negócios, pode também precisar dos serviços de um advogado regularmente.

Perguntas a fazer ao contratar um advogado e não falhar na tentativa

Quer necessite de um advogado numa base recorrente ou para um caso específico, antes de escolher o profissional certo, não deve olhar apenas para o dinheiro que pode pagar. Se fizer aos candidatos as perguntas abaixo, será mais fácil fazer a escolha certa:

Os aspetos mais importantes para as empresas quando contratam um advogado são: especialização e experiência, qualidade de serviço e confiança pessoal.

1. Experiência como advogado: Há quantos anos exerce a profissão?

Saber quantos anos de experiência o advogado tem no setor jurídico ajudá-lo-á a avaliar a sua preparação para satisfazer as suas necessidades. Para saber mais sobre a sua experiência, pode consultar, por exemplo, o seu perfil no LinkedIn.

2. Experiência no setor de atividade: Que experiência tem o(a) advogado(a)no setor para o qual necessita dele/dela?

É importante que tenha um bom conhecimento da legislação específica que se aplica às empresas do seu setor. Dessa forma, não só o aconselhará legalmente, mas também o ajudará a tomar melhores decisões.

3. Experiência em casos semelhantes: Quando foi a última vez que trabalhou em algo semelhante?

É possível que tenha tido experiência no seu setor, mas que esteja afastado dele há algum tempo, o que poderia tornar a sua experiência obsoleta. Se precisar do advogado para um julgamento, pergunte-lhes sobre casos semelhantes que tenha tratado e a viabilidade do seu caso.

4. Equipa: Que equipa tem para o apoiar?

Em todos os escritórios de advocacia deve haver um equilíbrio entre o número de pessoas na equipa e o número de clientes, para garantir que eles lhe darão a atenção necessária e o ajudarão a encontrar soluções sem o fazer esperar. Por outras palavras, eles estarão disponíveis quando precisar deles.

5. Atualização: Mantém-se a par dos desenvolvimentos legais?

O advogado deve ser informado de tudo o que está a ser legislado e do que se espera que seja legislado em referência ao seu setor. É também importante que frequente regularmente cursos, workshops ou convenções sobre novos desenvolvimentos jurídicos.

6. Comunicação: Qual será a forma de comunicar consigo?

É importante saber se ele o visitará ou telefonará regularmente, de que forma o manterá informado sobre o seu trabalho e quanto tempo precisará de passar na empresa.

7. Tem problemas de consciência ao defendê-lo em determinadas circunstâncias?

Obviamente, não lhe vai pedir para cometer um delito. Trata-se de ele estar sempre do seu lado e defender os seus interesses.

8. Estratégia: Qual é a sua estratégia habitual?

Conhecer a sua estratégia ajudá-lo-á a ver se os seus valores e princípios estão de acordo com os da cultura da sua empresa. Ou se o modo de trabalho dele e o seu são semelhantes.

9. Reputação: É reconhecido pelos seus pares? Surgiu em alguma publicação profissional?

A reputação é outro fator que poderá descobrir através das perguntas para contratar um advogado. Peça-lhe artigos, estudos ou publicações em que tenha aparecido. Neste caso, no LinkedIn pode também analisar a sua reputação através de comentários de outros advogados ou clientes.

10. Honorários: Quais são os seus honorários?

O relatório da Deloitte acima citado mostra que os honorários não são o fator mais importante quando se contrata um advogado (18%).

A resposta a esta pergunta deverá justificar as anteriores e ajudá-lo-á a avaliar o equilíbrio entre orçamento, experiência e o valor que a sua empresa possa necessitar.

Embora os honorários não sejam um fator determinante na escolha de um advogado para a sua empresa, são importantes e devem ser considerados juntamente com outros fatores, tais como experiência e reputação.

Se fizer estas perguntas e tiver em conta os critérios acima mencionados para escolher um advogado, garantirá um resultado mais satisfatório para o futuro do seu negócio. Saberá que tem um profissional jurídico que irá defender os seus interesses.