Inscreva-se

Inscreva-se

Entrevistas de trabalho virtuais: prós e contras

Back to search results

Homens analisam ecrã computador

A COVID-19 continua a provocar encerramentos de escritórios em meio mundo. As empresas que conseguiram sobreviver à crise exploram novas formas de contratação. De facto, são muitos os responsáveis dos Recursos Humanos que se juntaram às entrevistas de trabalho virtuais. Estas implicam menores riscos de contágio e permitem deslocalizar o talento. Isto significa que o profissional não tem de residir na mesma cidade ou país que a empresa.

A pandemia perturbou a modalidade de contratação. Uma pesquisa da Gartner indica que 86% das organizações mundiais já realizam entrevistas virtuais para preencher vagas.

86% das organizações mundiais já realizam entrevistas virtuais para preencher vagas.

As entrevistas virtuais trazem grandes vantagens para as empresas, sobretudo quando não se dispõe de tempo nem de um grande orçamento. As companhias conseguem, assim, chegar a candidatos de máxima qualidade estejam onde estiverem. Embora as vantagens deste tipo de entrevistas são muitas, também o são as desvantagens.

As vantagens das entrevistas de trabalho virtuais

1. Redução de custos

A redução de custos em entrevistas virtuais é palpável. O custo do tempo que se investe na revisão dos CV e nas entrevistas de trabalho reduz-se em 60% ao realizar o processo online. Além disso, estes processos permitem encontrar o melhor candidato para a vaga. Reduz-se também a taxa de abandono na altura de se candidatar à oferta.

2. Acelera-se o processo de recrutamento

O período médio de contratação é de 38 dias. Este tempo inclui desde a receção do currículo até ao sim definitivo. Organizar um momento adequado para reunir com um candidato pode ser complicado. A entrevista virtual acelera este processo. Por exemplo, se iniciar o processo com uma apresentação de vídeo, isso permite começar a filtrar candidatos.

3. Obtém-se mais talento

A entrevista virtual é um conceito relativamente novo, mas está a tornar-se cada vez mais popular. Uma razão seria a possibilidade de obter mais talento para a empresa, não importa onde. A localização da empresa poderia dissuadir os candidatos que vivem longe. No entanto, uma entrevista virtual evita viagens desnecessárias para o escritório. Isto abre a possibilidade de contratar os melhores profissionais, quer vivam em Portugal ou no estrangeiro.

4. Não é necessário ter espaço para a entrevista

Há muita atividade na empresa? Todas as salas de reunião já estão reservadas? Não se preocupe. A entrevista virtual elimina as limitações de espaço para poder realizar o processo. Isto também ajuda a reduzir o tempo de contratação, uma vez que não terá que esperar pela disponibilidade de uma sala.

Desvantagens das entrevistas de trabalho virtuais

1. Muito mais difícil perceber a comunicação não-verbal

Uma falta de naturalidade. Embora as entrevistas virtuais sejam melhores do que as entrevistas telefónicas, não permitem captar toda a informação que se pretende. Com isto referimo-nos à comunicação não-verbal. A linguagem corporal representa 55% da mensagem que se deduz ao comunicar com alguém. Muitos responsáveis dos Recursos Humanos podem saber simplesmente pela forma como alguém entra pela porta se é adequado para o posto. Se a este processo for adicionado o uso de vídeo para fazer uma primeira triagem do candidato, a dificuldade aumenta. O uso do vídeo no processo dificultará ainda mais a captação dos sinais não-verbais, pois permite-se ao candidato repeti-lo até transmitir o que se pretende.

2. Não conhecerá as instalações nem os colegas

Quando uma entrevista corre bem, pode ser apropriado mostrar ao candidato o escritório ou deixá-lo familiarizar-se com o ambiente em que trabalharia. Quando se contrata talento para a empresa, as entrevistas físicas são uma oportunidade para ver se o candidato se encaixa bem com a cultura empresarial. Também pode ajudá-lo pessoalmente a sentir-se parte da equipa. Portanto, se escolher realizar uma entrevista de emprego virtual, terá que prestar atenção ao processo de ‘on boarding’.

3. A tecnologia também falha

Tal como acontece com as chamadas por videoconferência, há a possibilidade da tecnologia falhar. Aposto que não é a impressão que quer dar aos seus candidatos. A tecnologia pode ajudar a recrutar o melhor talento, mas às vezes provoca imprevistos a ter em conta.

4. Dados pessoais

Cuidado com a Lei de Proteção de Dados Pessoais. Se pretende realizar uma entrevista virtual, tenha cuidado com a informação que armazena de cada candidato. Para evitar problemas legais, a empresa terá que dispor de formulários de consentimento. Além disso, o candidato deve ser informado sobre a utilização dos seus dados e as informações que a empresa irá armazenar. Isto pode significar mais papelada para a empresa.

As entrevistas virtuais têm representado um grande avanço no mundo dos Recursos Humanos. No entanto, ainda não são tão eficazes como fazê-las cara a cara.

Receba a newsletter Sage Advice

Inscreva-se para receber o boletim do Sage Advice e receba os conselhos mais recentes diretamente no seu e-mail.