Inscreva-se

Inscreva-se

Como dotar as empresas de capacidade analítica e preparar o negócio para desafios mundiais

Back to search results

Num ambiente globalizado, marcado por uma complexidade crescente e em acelerada mudança, o negócio empresarial é cada vez mais afetado por fatores externos, muitas vezes, fora do controlo das empresas.

O crescimento populacional no mundo, a facilidade de mobilidade ao nível global, a forma como as pessoas se relacionam entre si e a necessidade de sobreviverem num mundo cada vez mais competitivo são fatores que criam desafios emergentes para uns e oportunidades para outros.

Estes desafios e oportunidades dependem, muitas vezes, da perspetiva e da forma como observamos o mundo, da informação que temos, como a analisamos e como nos posicionamos.

O mundo, fruto da evolução tecnológica, nomeadamente, da internet das coisas (IoT), tem vindo a permitir a recolha e armazenamento de cada vez mais dados:

1) sobre características de pessoas ou empresas,

2) sobre os seus comportamentos,

3) sobre o meio ambiente ou

4) sobre a relação entre pessoas, empresas e o meio ambiente.

Todos estes dados são importantes e determinantes para as empresas analisarem e conceberem estratégias, para ser tornarem mais competitivas, para desenvolverem produtos adequados às necessidades e aos comportamentos dos seus clientes, em suma para se reinventarem todos os dias.

Uma analítica forte e bem delineada é imprescindível nas organizações atuais, pois, os modelos analíticos desenvolvidos possibilitam a:

  • Criação de experiências para os clientes, que sejam adequadas ao seu gosto e às suas expectativas;
  • Personalização de serviços para o cliente, tendo em conta as suas interações com a empresa em tempo real;
  • Identificação de tendências e consequente adaptação da linha de produtos e serviços às novas exigências de mercado;
  • Análise da operação, encontrando pontos de melhoria e eficiência, otimizando a cadeia de valor da organização;

No entanto, a recolha, a análise e o armazenamento de dados são alguns dos desafios que muitas organizações têm enfrentado quando implementam departamentos de suporte à decisão, baseados em desenvolvimentos analíticos.

O desafio de aumentar constantemente a capacidade de armazenar dados, mesmo que a necessidade seja momentânea. O desafio de aumentar a velocidade de processamento para trabalhar e obter os dados, mesmo que essa necessidade seja momentânea. O desafio de adquirir funcionalidades analíticas, mesmo que essa necessidade seja momentânea.

“The goal is to turn data into information,
and information into insight”.

Carly Fiorina – antiga CEO Hewlett-Packard

Inteligência Artificial

Aceda gratuitamente ao ebook sobre a Inteligência Artificial.

Download gratuito

Por norma, estas necessidades são complexas e demoram a implementar, além disso, elevam os custos organizacionais com: 1) Hardware, 2) Software e 3) técnicos especializados. Por vezes, reza a história, apenas se necessita de utilizar uma certa capacidade num determinado momento do tempo.

Por isso, para fazer face a estes desafios, atualmente existe uma solução que permite às organizações adquirirem mais ou menos serviços tecnológicos consoante as suas necessidades num certo momento. Essa solução chama-se Cloud!

Cloud é um conceito utilizado para descrever um conjunto de servidores remotos interligados em rede. Estes servidores têm funções e serviços específicos que podem ser configurados e reconfigurados, rápida e remotamente consoante a aquisição dos serviços necessários a cada momento.

O conceito de cloud permite armazenar e gerir dados, executar aplicações e aceder a serviços a partir de um dispositivo com internet. Este é um conceito que disponibiliza velocidade de processamento, ferramentas e informação a qualquer altura e a partir de qualquer lugar.

A partir da cloud é possível fornecer quase todos os componentes essenciais para operar a organização, tais como:

  1. ferramentas de comunicação – mail, voz e vídeo;
  2. ferramentas de produtividade – office, processamento de texto, cálculo, …;
  3. ferramentas de file system – armazenamento de dados e ficheiros;
  4. Serviço de backup completo;
  5. plataformas para desenvolvimento de aplicações;
  6. plataformas para testes;
  7. Cloud Analytics.

Este tipo de solução cloud que as organizações têm ao seu dispor, pode otimizar e complementar a sua infraestrutura tecnológica. Contudo, é essencial ter em consideração que existem vários tipos de cloud e analisar qual deles se pode adequar melhor à estratégia e aos requisitos da empresa.

Que tipos de cloud existem?

Os tipos de cloud a considerar são: Cloud Pública, Cloud Privada ou Cloud Híbrida.

Cloud Pública

As clouds públicas oferecem servidores e serviços partilhados a múltiplas organizações mediante um valor pré-determinado entre cliente e fornecedor. Os serviços disponibilizados contemplam: máquinas virtuais, armazenamento de dados e processamento de dados. Algumas das vantagens das clouds públicas são:

  • Redução de custos, apenas se paga o serviço que se utiliza, seja hardware ou software;
  • Manutenção, é responsabilidade do fornecedor manter os níveis de serviço contratados;
  • Escalabilidade, é possível aumentar e diminuir o hardware e o software consoante as necessidades.

Cloud Privada

As cloud privadas são dedicadas a uma única organização, não existe partilha de recursos com outras empresas, este tipo de implementação é escolhida quando as organizações têm a privacidade e a segurança como requisito prioritário. As clouds privadas funcionam como uma extensão do parque tecnológico das organizações. Algumas das vantagens que as clouds privadas têm são:

  • Personalização e flexibilidade na definição do ambiente de modo a responder às necessidades exclusivas da organização
  • Nível de segurança elevada, na informação recolhida e nas transações de negócio

Cloud Híbrida

As clouds hibridas combinam a utilização de clouds públicas com clouds privadas. Neste tipo de cloud os dados podem transitar entre ambientes mediante a estratégia tecnológica. Ou seja, pode-se utilizar uma cloud pública para aumentar volumetria de dados e processamento em informação que não necessite de segurança adicional e cloud privada para operações confidenciais e críticas para a organização. Algumas das vantagens das clouds Híbridas são:

  • Controlo e segurança de informação, possibilidade de repartir os dados pelo tipo de cloud adequada.
  • Migração de aplicações e dados, possibilidade de efetuar migrações de forma faseada e controlada.

“Some of the best theorizing comes after collecting data
because then you become aware of another reality”

Robert J. Shiller – Prémio Nobel da Economia 2013

Desta forma, com a possibilidade de aliar a cloud à componente analítica, resolvem-se desafios inerentes à capacidade de armazenamento de dados, ao processamento, à segurança de informação e à seleção dos melhores modelos analíticos.

Torna-se possível responder às exigências do negócio, criando conhecimento através de análise sobre questões:

  • descritivas – analisam o passado e apresentam o porquê dos acontecimentos,
  • preditivas – analisam o passado, adicionam regras e apresentam o momento em que determinado evento irá acontecer novamente, e
  • prescritivas – analisam o passado, antecipam o momento em determinado evento irá ocorrer novamente e explicam o porquê que vai acontecer.

Estes modelos, para terem algum grau de sucesso, necessitam de uma enorme quantidade de dados, de capacidade de processamento e muitas vezes respeito pela privacidade dos dados, por isso é importante aliar a analítica à cloud criando o conceito de Cloud Analytics.

A verdade é que não existe uma plataforma única que sirva todos os propósitos de todas as organizações, como tal é relevante definir a visão e os objetivos que vão servir de guia e visão para implementar uma plataforma que responda as necessidades analíticas da organização. Sendo que alguns dos fatores que se deve ter em consideração são:

  • escalabilidade – capacidade de aumentar o espaço para acomodar os dados e o processamento para se trabalhar os dados;
  • segurança – capacidade de encriptar os dados, quer na plataforma, quer quando são transmitidos para a plataforma;
  • integrações em real-time – capacidade de integração rápida da plataforma de analytics com outros sistemas para não perder vantagens competitivas;
  • funcionalidades analíticas – capacidade de utilizar modelos que deem resposta as questões de negócio: descritivas, preditivas e prescritivas;
  • interfaces responsivos – capacidade de utilizar e adaptar as aplicações analíticas a qualquer dispositivo.

Desenvolver uma área de analítica, não é simples, mas na cloud é um avanço importante na preparação do futuro das organizações. Cria espaço para a flexibilidade e adaptação à mudança tecnológica, permite eficiência na utilização de recursos e facilita o aumento do processamento de dados, tudo isto adaptando-se as necessidades do dia-a-dia.

Estas questões, respondidas na cloud elevam a possibilidade para que todas as organizações, sejam grandes, médias ou pequenas, possam ter acesso, a infraestrutura e mecanismos analíticos, independentemente da sua complexidade. O que irá permitir às empresas poderem recolher os dados necessários para desenvolver novos insights e adaptarem-se ou criarem novas realidades. Em suma, o acesso à capacidade analítica torna e tornará as empresas mais conscientes, diferentes e melhores que os seus concorrentes.

Receba a newsletter Sage Advice

Inscreva-se para receber o boletim do Sage Advice e receba os conselhos mais recentes diretamente no seu e-mail.