Inscreva-se

Inscreva-se

Liderança transacional: em que consiste e como implementá-la na sua empresa

RH e Liderança

Liderança transacional: em que consiste e como implementá-la na sua empresa

liderança transacional visa incentivar os colaboradores, sendo uma forma de alcançar metas envolvendo toda a equipa. Fique a conhecer melhor este tipo de liderança neste artigo.

  • Numa equipa de futebol, os treinadores que aplicam a liderança transacional oferecem incentivos como, por exemplo, um lugar de titular na equipa ou outras bonificações.
  • As empresas podem também aplicar este tipo de liderança e oferecer recompensas aos seus colaboradores.

Empresas como a McDonald’s ou a Starbucks aplicam a liderança transacional para aumentar a produtividade com estratégias como a eleição do Colaborador do Mês. No artigo de hoje, explicamos em que consiste a liderança transacional, que vantagens e desvantagens tem, e como a implementar.

O que é a liderança transacional?

Trata-se de um estilo de liderança que procura, através de diferentes estratégias, encorajar as equipas a alcançar um objetivo específico. Alguns exemplos:

  • Aumentar as vendas.
  • Otimizar um processo empresarial.
  • Atrair clientes.

Para obter resultados, é aplicado um sistema de prémios e de “castigos”.

A liderança transacional é útil quando o pretendido é fazer crescer a organização rapidamente. Também será a opção indicada quando é necessário superar uma crise ou algum tipo de emergência. Contudo, não será um estilo de liderança adequado quando o objetivo da empresa é a inovação.

Características da liderança transacional

O líder transacional denota características específicas. A saber:

  • É um líder proativo e que, no caso de surgir uma crise na empresa, atua com rapidez.
  • Não perde de vista o objetivo a alcançar.
  • É capaz de conseguir o melhor de cada colaborador.
  • Tem confiança plena na sua equipa.
  • Sabe transmitir, de forma clara, aos seus colaboradores, aquele que é o objetivo a atingir.
  • Premeia o esforço e castiga a falta de compromisso.

Vantagens e desvantagens da liderança transacional

liderança transacional traz diversas vantagens e desvantagens às organizações. A saber:

Vantagens:

Melhoria dos resultados

Howard Schultz, responsável pelo sucesso da Starbucks, é um dos principais exemplos da aplicação da liderança transacional para a melhoria dos resultados. Schultz criou um programa de incentivos com sistemas como o reconhecimento do Colaborador do Mês e outras compensações aos melhores colaboradores.

Colaboradores satisfeitos

Os colaboradores da organização sentem que os seus esforços são reconhecidos e recompensados, o que os deixa satisfeitos e gera um sentido de pertença à equipa.

Alcance rápido dos objetivos

Com este tipo de sistemas de prémios conseguem-se alcançar os objetivos de forma bastante rápida porque os colaboradores se sentem motivados.

A liderança transacional tem vantagens como a satisfação dos colaboradores, o atingir de forma rápida os objetivos, e a melhoria dos resultados.

Desvantagens:

Relação impessoal

A relação entre o líder transacional e os seus colaboradores tende a ser impessoal uma vez que não vai além do trabalho realizado na organização.

Não se aplica à inovação

Com a liderança transacional, os colaboradores focam-se na obtenção dos prémios, pelo que não empregam a inovação, cumprindo apenas as suas tarefas de forma otimizada.

Gera competição

O sistema de prémios acaba por gerar competição entre os colaboradores, o que pode resultar num ambiente laboral mais pesado.

Como aplicar a liderança transacional na sua empresa

O sistema de liderança transacional não é adequado para todas as situações ou para todas as empresas, sendo que é necessário realizar uma série de passos para o implementar com sucesso. A saber:

  1. Analise a sua organização e as equipas que a compõem. É fundamental analisar o perfil dos colaboradores para perceber se têm a postura necessária. Estes deverão ser autónomos e ter a formação adequada.
  2. Estabeleça a meta que pretende alcançar. A meta a alcançar pode ser de diferentes tipos. A mais habitual é a melhoria das vendas e da produtividade. Já tínhamos visto que, com a liderança transacional, se obtêm resultados rápidos, mas se o objetivo é fomentar o desenvolvimento da equipa, então um outro tipo de liderança será preferível.
  3. Informe a equipa. Este próximo passo consiste em informar a equipa sobre os resultados pretendidos e sobre o sistema de premiação a ser aplicado.
  4. Meça os resultados e entregue os prémios. Finalmente, deverá ser feita a comparação entre os objetivos definidos e os resultados alcançados. Daí decorrerá a entrega dos prémios aos colaboradores que tenham alcançado os seus objetivos.

Passos para implementar a liderança transacional: análise das equipas, definição das metas, comunicação com os colaboradores, medição dos resultados e entrega das recompensas.

Em resumo, a liderança transacional é adequada para aqueles momentos específicos em que a empresa procura um crescimento rápido. Contudo, deverá ser combinada com outros tipos de liderança que fomentem uma relação mais próxima entre o líder e a sua equipa, e que contribuam para um bom ambiente laboral a longo prazo.

Para melhorar a experiência dos seus colaboradores, enquanto líder transacional, é fundamental poder contar com um software focado na gestão dos recursos humanos. Um software que lhe oferece um espaço único de colaboração, automatiza os processos de Recursos Humanos e lhe confere soluções ajustadas para a cada momento.