Inscreva-se

Inscreva-se

Porque é que a economia circular favorece as empresas e o mundo em geral

Back to search results

Logotipo do Sage Advice
Sage AdviceConhecimento para Empresas de Sucesso
Receba a Newsletter Sage AdviceSubscrever
Pessoas em reunião

Como reduzir o desperdício no seu negócio ajudando o ambiente, ao mesmo tempo que diminui custos e aumenta a satisfação do cliente? Parece irrealista, mas é perfeitamente possível através da economia circular, tanto aplicada à produção discreta como à produção por processos.

Ao contrário da economia linear tradicional, que produz, consome e deita fora, a economia circular exclui o desperdício e a poluição, maximizando tanto quanto possível a utilização de produtos e materiais, e encontrando novas formas de aproveitar tudo o que desperdiçamos.

O mundo está a mudar. As pessoas estão cada vez mais conscientes da pegada que deixam no ambiente. As empresas têm cada vez mais dificuldade em ter acesso às matérias-primas. Através da economia circular, conseguimos retirar o máximo partido dos produtos e dos materiais enquanto os utilizamos e regenerando-os depois de terminar o seu ciclo de vida.

A economia circular centra-se especialmente nos serviços, manutenção e regeneração de recursos. No entanto, à medida que os recursos vão desaparecendo, os fabricantes e distribuidores vão introduzindo serviços adicionais de valor acrescentado à economia circular.

A economia circular já está ao nosso alcance graças à tecnologia e à indústria 4.0. Durante muito tempo, utilizámos recursos, criámos produtos e eliminamo-los. Em plena quarta revolução industrial, podemos eliminar o desperdício através de tecnologias como:

A Internet das Coisas (IoT): permite-lhe ligar à cloud os produtos que desenvolve, analisar o seu desempenho e recolher dados de utilização. Pode monitorizar e analisar produtos à distância, satisfazendo os clientes através da criação de produtos de grande durabilidade, o que contribui para a redução do desperdício. Além disso, estratégias circulares como a reciclagem podem tornar-se mais eficazes através do uso de dados.

Robótica: é a mão humana que gera erros nos produtos durante o processo de fabrico. A utilização de robôs em cada vez mais aplicações aumenta a produtividade, diminui o desperdício e prolonga o ciclo de vida de um produto.

Impressão 3D: pode produzir rapidamente peças sobressalentes por encomenda, prolongando o ciclo de vida dos produtos ou equipamentos.

Junte-se à economia circular

Fazer parte da economia circular é uma atitude positiva do ponto de vista ético. Por outro lado, poderá sofrer pressão por parte de clientes e entidades reguladoras para adotar práticas mais sustentáveis e benéficas para o ambiente. Os clientes apreciam e procuram cada vez mais criar relações com marcas que se preocupam com o planeta. E as relações duradouras que podem advir daqui são ouro para o seu negócio.

Segundo a Ellen MacArthur Foundation, a indústria transformadora poderia economizar entre dez a quinze por cento dos materiais diretos utilizados na produção. Faça uma análise interna e tente perceber o que a sua empresa poderia economizar através da eliminação do desperdício e embarque numa estratégia que corresponda às necessidades do seu negócio e à legislação que tem de cumprir:

Estas são algumas medidas a considerar:

  • Prolongue a vida dos seus produtos através de iniciativas como a renovação e a retransformação, ou da alteração do seu modelo de negócio, oferecendo um produto enquanto serviço.
  • Reutilize os seus recursos como parte de uma plataforma de partilha de recursos.
  • Recicle: separe componentes de produtos e assegure-se de que todos os materiais aptos são reutilizados em novos produtos, em vez de utilizar matérias-primas.

Quais as consequências para o seu desenvolvimento de produtos?

Um aspeto que poderá desejar explorar é a criação de produtos de grande durabilidade, fáceis de utilizar ou que sejam recicláveis, mantendo-se rentáveis.

Atualmente, não consideramos o que acontece aos produtos depois de o consumidor os utilizar. Assumimos que, a partir do momento em que deixam de ser úteis, são deitados fora e substituídos. De certeza que já concebeu produtos para serem fáceis de fabricar, o que não implica necessariamente a sua desmontagem ou reparação.

Aquilo que poderá pretender considerar no processo de desenvolvimento do seu produto é a economia circular. Em vez de pensar apenas na funcionalidade e nos custos, pode considerar todo o ciclo de vida do produto, maximizando o seu valor e materiais.

Pense nos equipamentos eletrónicos como smartphones e computadores portáteis. É relativamente comum os fabricantes oferecerem equipamento renovado, simplesmente recolhendo, reparando e instalando novo software em modelos para mercados que não precisam ou não podem comprar os aparelhos topo de gama.

A economia circular poderia ser igualmente relevante noutras indústrias transformadoras, como a do mobiliário e a automóvel. Por outro lado, cabe-lhe a si analisar o valor dos materiais e a energia gasta no fabrico dos seus produtos. A economia circular requer mudanças no modelo de negócio, para o qual o desenvolvimento de produtos é muito importante.

Implica uma colaboração transversal entre toda a cadeia de produção. Terá de criar produtos reutilizáveis, reparáveis e recicláveis, além de adotar sistemas para apoiar os seus clientes quando chegar a altura da mudança. Estes processos envolverão os departamentos de fornecimento e distribuição, mas também os de vendas e de marketing.

A economia circular no setor alimentar e das bebidas

Se trabalha no setor alimentar e das bebidas tem consciência de que os gostos e os comportamentos do consumidor estão a mudar. As cadeias de produção mundiais estão a ser afetadas por alterações agrícolas, como a diminuição da fertilidade do solo, ao passo que o aumento populacional e as exigências regulamentares obrigam a mudanças no seu negócio.

Ao adotar princípios da economia circular, vai desejar parar de desperdiçar alimentos e preservar o valor de recursos como matérias-primas, água e energia, o que se refletirá nos alimentos.

 

Pode fazer isto de várias formas:

Crie melhores processos de fabrico

Encontre formas de minimizar o desperdício alimentar, incluindo a otimização dos processos de fabrico através de melhor tecnologia e formação dos seus funcionários. Pode também pensar em inovar, introduzindo o desperdício alimentar novamente na linha de produção ou criando novos produtos com sobras de subprodutos e ingredientes.

Redistribua comida não comercializável

Tendo em conta toda a cadeia de produção, o desperdício alimentar parece ser inevitável, já que os alimentos e as embalagens podem sempre sofrer danos ao serem transportados por terra, mar e além-fronteiras. No entanto, muitos destes alimentos continuam a ser comestíveis, mesmo não sendo necessariamente comercializável. Deve pensar em encontrar canais alternativos como parceiros de doação alimentar e mercados, para redirecionar o excedente.

Utilizar subprodutos como alimentos para animais, fertilizantes e energia

Se não consegue oferecer os alimentos excedentários a seres humanos ou se esse excedente for impróprio para consumo humano, uma boa alternativa será utilizá-los para alimentar animais, já que será introduzido novamente na cadeia alimentar. Também pode transformar os desperdícios alimentares em fertilizante e energia.

Utilize embalagens ecológicas

Utilize embalagens sustentáveis: pense, por exemplo, em embalagens de produtos e transporte reutilizáveis ou de plástico reciclado de base biológica.

O mais provável é que a sua empresa esteja ainda a aprender o quanto a economia circular pode fazer por si. Pense nas possíveis oportunidades de negócio que este sistema pode trazer-lhe. A tecnologia existe para o ajudar a mudar o seu modelo de negócio, por isso, é um desperdício ignorá-la.