Inscreva-se

Inscreva-se

Resiliência, uma prioridade empresarial no mundo pós-COVID-19

Tecnologia e Inovação

Resiliência, uma prioridade empresarial no mundo pós-COVID-19

A vida quotidiana das organizações empresariais caracteriza-se por mudanças contínuas, acontecimentos imprevistos e contratempos que precisam de ser resolvidos. A chave para lidar com todos estes obstáculos é a resiliência.

  • Colocar o empregado no centro de todos os assuntos ou criar ambientes de trabalho que favoreçam as relações pessoais entre os empregados são alguns dos objetivos das empresas resilientes.
  • Como se adaptou a sua empresa à era pós-COVID-19? Conseguiu criar uma estrutura resiliente? Neste artigo dizemos-lhe o que é a resiliência empresarial, como consegui-la e quais são as prioridades empresariais na era pós-pandémica.

De acordo com dados do segundo Inquérito Global de Crise da PwC, mais de 70% dos inquiridos dizem que as suas empresas foram negativamente afetadas pela pandemia da COVID-19.

A resposta das empresas à crise provocada pela pandemia tem sido diferente de caso para caso. Por um lado, há empresas que já estavam a operar num ambiente online e viram as suas receitas aumentar durante a pandemia devido ao crescimento do comércio eletrónico. Por outro lado, as empresas que ofereciam produtos e serviços offline ou parcialmente online viram os seus lucros diminuírem. No entanto, têm sido capazes de lidar eficazmente com a situação. De acordo com o relatório Fujitsu Future Insights Global Digital Transformation 2021*, a resiliência é vista como a principal prioridade para as empresas no mundo pós-pandémico.

 

75% dos inquiridos estão confiantes na integração do que aprenderam e na dinamização da resiliência organizacional.

 

A resiliência dos empresários é a capacidade de se reinventar a si próprio.

 

O que é a resiliência empresarial?

Para compreender o que é a resiliência empresarial, é importante analisar a forma como as empresas responderam ao confinamento, ao teletrabalho, à necessidade de permanecer no negócio e a outros aspetos da crise pandémica. Veremos que algumas empresas se adaptaram melhor às mudanças do que outras. Porque é que isto acontece? O que é que faz a diferença? É precisamente a resiliência empresarial, ou seja, a capacidade de adaptação à mudança, de aprender com ela e de crescer perante as dificuldades.

 

A resiliência empresarial é a capacidade das empresas se adaptarem à mudança, aprenderem com ela e crescerem perante as dificuldades.

 

O que caracteriza uma empresa resiliente?

Os restaurantes são algumas das empresas que mais sofreram com a pandemia, mas há muitos casos em que conseguiram adaptar-se à adversidade.

Por exemplo, o Restaurante DO em Granollers é um restaurante e escola de culinária focada em produtos locais de qualidade. Esta foi a sua estratégia:

  • Quando o confinamento começou, o restaurante tinha uma grande quantidade de produtos perecíveis.
  • A fim de vender os produtos e continuar com a atividade, foram concebidos menus adaptados para take away e foram utilizadas redes sociais para comunicar os novos serviços.
  • Por conseguinte, adaptaram-se à situação, aplicando a resiliência.

Uma empresa resiliente é caracterizada por vários elementos:

  1. Pode criar e eliminar estruturas com simplicidade.
  2. Coloca o empregado no centro.
  3. Cria ambientes de trabalho resilientes em que a comunicação e a cooperação são favorecidas.
  4. Realiza e analisa as perceções dos empregados para evitar um mau ambiente de trabalho.

Prioridades empresariais no pós-pandemia

Com base no relatório da Fujitsu acima citado, podemos destacar as seguintes prioridades empresariais no rescaldo da pandemia da COVID-19:

  • Resiliência. As empresas devem ser capazes de se adaptar a ambientes onde o ponto de contato com os clientes possa mudar, onde possa haver um aumento ou diminuição súbita da procura, ou onde a conectividade e a segurança devam ser protegidas para que os empregados possam trabalhar a partir de casa.
  • Automatização de processos. Espera-se que mais de metade dos processos comerciais que se realizam atualmente estejam automatizados até 2025. A automatização permite que as tarefas repetitivas sejam feitas por um software robotizado e que os empregados se concentrem em tarefas de valor para os negócios.
  • Tomada de decisões com base em dados. É essencial que os processos de tomada de decisão se baseiem em dados reais e atualizados, tornando mais fácil lidar com as mudanças no mercado, na procura ou no aparecimento de novos concorrentes.

 

Inteligência Artificial

Aceda gratuitamente ao ebook sobre a Inteligência Artificial.

Download gratuito

 

As prioridades empresariais mais destacadas num mundo pós-pandémico são: a resiliência, a automatização de processos e a tomada de decisões baseada em dados.

 

Vivemos em ambientes dinâmicos que podem mudar a qualquer momento, pelo que as organizações precisam de ter estruturas e planos para se adaptarem rapidamente a situações imprevistas, aprender com elas e reinventarem-se, se necessário. A resiliência é a chave não só para sobreviver, mas também para se desenvolver e crescer em mercados em mudança na era pós-COVID-19.

*Fujitsu Future Insights Global Digital Transformation 2021