Inscreva-se

Inscreva-se

O caminho a seguir na construção de uma equipa – Parte II

Back to search results

Logotipo do Sage Advice
Sage AdviceConhecimento para Empresas de Sucesso
Receba a Newsletter Sage AdviceSubscrever

Na segunda parte deste artigo, continuamos a olhar para as boas práticas de contratação e integração de novos trabalhadores nos vossos negócios. Pensamentos essenciais para a sobrevivência da vossa empresa, que poderão conjugar com o software de gestão de Recursos Humanos, Sage X3 People.

Uma integração progressiva

Com a chegada de um novo colaborador à vossa empresa, certifiquem-se que este tem tempo para se familiarizar com as rotinas e o ambiente do novo local de trabalho. Irão evitar percalços de última hora e ajudar com que se sinta mais confiante na sua posição e com o seu desempenho.

Deixem os novos colaboradores a par de todas as atividades de equipa que a vossa empresa organiza e disponibiliza. Procurem saber mais sobre os seus interesses e passatempos. Este tipo de interação ajuda as novas contratações a aproximar-se dos seus colegas e de toda a equipa.

Privilegiem a honestidade e abertura entre todos os trabalhadores – chefias incluídas. A transparência entre toda a equipa ajuda a manter índices de confiança altos entre os trabalhadores.

Formação e desenvolvimento de competências

A formação é um fator essencial da atividade empresarial. Contudo, sejam pragmáticos em relação às necessidades dos vossos trabalhadores e do vosso negócio – uma formação injustificada pode ser uma perda de tempo e acarretar custos adicionais desnecessários.

A direção a seguir

Definam as vossas expetativas e objetivos o mais cedo possível. Como é que será avaliado o desempenho dos trabalhadores? A vossa equipa sabe o que é esperado dela? Garantam uma organização e comunicação clara e eficaz, para que ninguém tenha dificuldades na integração ou no cumprimento de objetivos.

O que fazer quando alguém precisa de ajuda

Certifiquem-se que toda a gente está a par do problema. Comuniquem de forma clara com o trabalhador em dificuldades – muitas vezes ele pode nem saber que algo está mal.

Esclarecida a situação, é hora de encontrar soluções. Podem, por exemplo, juntá-lo a um colega com um papel semelhante ao seu no contexto laboral, de forma a que este se sinta motivado e capaz de ultrapassar as suas próprias dificuldades.

Se existir algum constrangimento do foro pessoal, não tenham medo de abordar esse assunto. Sejam empáticos, ouçam o vosso colaborador e trabalhem em conjunto para chegar a uma solução – as pessoas não são robôs.

Em suma, estejam atentos a quaisquer sinais de insatisfação ou desleixo de forma a que consigam antecipar um inconveniente maior. Por vezes, uma conversa simples e atenciosa é tudo o que basta.

Deixar uma resposta