Inscreva-se

Inscreva-se

7 boas práticas para proteger-se das fraudes em lojas

Back to search results

Logotipo do Sage Advice
Sage AdviceConhecimento para Empresas de Sucesso
Receba a Newsletter Sage AdviceSubscrever
Pagamento por contactless

A segurança das transações online foi alvo de escrutínio durante a última década, dada a sua crescente popularidade e riscos subsequentes.

Por outro lado, as lojas físicas não estão livres de perigo, já que toda esta atenção dada à segurança online serve quase de manobra de diversão para os criminosos menos tecnológicos, que pretendam roubar dados de cartões no ponto de venda tradicional. Se as empresas negligenciam a segurança dos pagamentos físicos, colocam em risco toda a informação sensível dos milhões de consumidores que ainda preferem comprar nas lojas.

Os métodos tradicionais de combate à fraude continuam a ser fundamentais. Ponha em prática estas dicas para se precaver contra fraudes em lojas e diminuir o risco de responsabilidade por fraude com cartão.

Verifique com regularidade os terminais de pagamento sem supervisão

A norma global Europay Mastercard e Visa (EMV) tem contribuído para uma redução considerável da contrafação de cartões desde 2008. Os criminosos tendem a ligar dispositivos escondidos ou disfarçados às ranhuras dos leitores de cartões nos multibancos e terminais de pagamento sem supervisão, como as caixas automáticas dos supermercados e as máquinas de bilhetes em estações de comboio, cinemas e parques de estacionamento.

Se monitorizar os terminais com frequência será mais provável detetar movimentos suspeitos. Além disso, a atualização dos terminais para suportar pagamentos sem contacto pode reduzir o risco de clonagem de cartões. Os cartões sem contacto têm uma funcionalidade de segurança integrada que pontualmente pede a digitação do PIN para assegurar que se trata do titular.

Não aceite cartões danificados

Esteja alerta caso um cliente lhe dê a entender imediatamente que o seu cartão está com problemas de leitura. Um dos esquemas fraudulentos mais comuns consiste em levar o funcionário da caixa a digitar manualmente os dados do cartão para contornar as funcionalidades antifraude. Cartões que não conseguem ser lidos por uma banda magnética ou um leitor de chip são um sinal de alerta. Nesse caso, proponha outro método de pagamento ou recuse a transação.

Utilize sistemas inteligentes para detetar sinais de alerta

O seu processador de pagamentos monitoriza continuamente as transações da sua empresa, utilizando o poder dos dados para detetar transações suspeitas e fraudulentas. Todos os movimentos que se desviam da norma são assinalados como potencial risco de fraude e investigados para validação. Esta supervisão adicional pode ajudá-lo a localizar a atividade suspeita ao longo do tempo, bem como devoluções frequentes e anulações de pagamentos.

Se precisar de fazer uma transação atípica, informe primeiro o seu processador de pagamento para impedir a sinalização de uma compra legítima.

Proteja-se contra a fraude sem cartão (CNP)

As carteiras móveis e os pagamentos por NFC, juntamente com a explosão das compras online, criaram novas oportunidades para os autores de fraudes utilizarem informação roubada para realizarem compras.

Este método de pagamento representa um desafio particular para os vendedores: conseguir confirmar a identidade do verdadeiro titular e, consequentemente, autenticar o pagamento com sucesso. A regulamentação tem sido importante nestes casos, sobretudo com a promulgação da Autenticação Forte do Cliente (SCA) pela UE no âmbito da PSD2. A SCA exige que o cliente apresente duas destas três identificações:

  • Uma informação que saiba, como um PIN ou palavra-passe
  • Uma informação que detenha, como os dados do seu cartão
  • Identificação biométrica, como a impressão digital

Quando implementar a sua estratégia SCA lembre-se de que a chave está em conseguir um equilíbrio entre a segurança e a conveniência para o cliente. A autenticação pelo conhecimento é o método mais usado. Porém, os bancos aconselham a pergunta de segurança juntamente com um PIN ou palavra-passe, que podem ser difíceis de memorizar. A autenticação por posse com palavras-passe de uso único (OTP) é também prática comum, mas pode ser extremamente inconveniente para os clientes mais frequentes.

A popularidade da autenticação biométrica tem crescido, já que hoje em dia a maioria dos smartphones tem um leitor biométrico de impressões digitais integrado. Os vendedores e os bancos têm potencializado esta funcionalidade para tornar as transações de comércio eletrónico e móvel mais seguras.

 

Em caso de dúvida, contacte o seu banco

Se desconfia de alguma transação com cartão de crédito ou débito, o seu banco é uma tábua de salvação à qual pode recorrer em caso de suspeita de fraude, especialmente se alguém apresentar um cartão com funcionalidades de segurança alteradas ou inexistentes, ou ainda com algum dos sinais de alerta que mencionámos. O seu banco pode ajudá-lo a confirmar a legitimidade de uma transação com cartão sem ter de confrontar o cliente.

Dê formação ao seu pessoal

Os seus funcionários podem ser um dos pontos mais vulneráveis ou uma das melhores defesas contra fraudes com cartão de crédito, dependendo da formação que recebem. Está nas suas mãos capacitar o seu pessoal, ensinando-lhes a prevenir a fraude e a implementar as melhores práticas para fazer da segurança uma regra. Será o seu pessoal a tratar da maior parte das vendas e a interagir com os clientes. Ensiná-los a reconhecer potenciais fraudes pode ajudar a reduzir o risco de se tornarem realidades graves.

A tecnologia como solução

Modernizar o seu sistema de pontos de venda pode preencher rapidamente as lacunas da sua estratégia de segurança:

  • Ao disponibilizar um conjunto de métodos de pagamento, pode tirar partido de novas funcionalidades de segurança que combatem a fraude de cartões.
  • Um gateway de pagamento de alto desempenho autoriza, rapidamente, pagamentos com cartão e reduz o tempo necessário ao processamento destas transações.
  • Os novos sistemas de pontos de venda são mais simples e fáceis de utilizar, o que ajuda a identificar anomalias e a impedir tentativas de fraude.

Resumindo

Oferecer pagamentos seguros faz parte de um serviço ao cliente de excelência. A nossa ansiedade em oferecer um serviço ao cliente sem qualquer conflito pode expor-nos inconscientemente à fraude com cartão.

Estas boas práticas podem ajudá-lo a proteger-se e aos seus clientes das fraudes em lojas. Aprender a detetar os sinais de alerta da fraude de cartão é um pequeno investimento, que pode compensar muito ao reduzir os reembolsos de devoluções fraudulentas.