Inscreva-se

Inscreva-se

Sucesso empresarial e soft skills: como se relacionam?

Back to search results

Autonomia, trabalho em equipa, liderança, capacidade de integração, empatia…Existem uma série de habilidades que não se aprendem nos livros, mas que se adquirem com a experiência profissional diária No entanto, nem todos os indivíduos são capazes de desenvolvê-las ao mesmo nível. Falamos das soft skills.

Por outro lado, 6 em cada 10 gerentes estão cientes que 85% do sucesso empresarial se deve a esta “arte social” tão útil para enfrentar os desafios atuais que definem o novo mercado. Em que medida as soft skills intervêm no sucesso empresarial? Neste artigo, damos-lhe todas as respostas sobre como a prosperidade de uma organização está relacionada com as soft skills.

Soft Skills: um recurso vital para o sucesso empresarial

Inúmeros estudos focados na estratégia do talento concluem que as soft skills são aptidões imprescindíveis para gerir situações de incerteza e onde impera o imediatismo. E são precisamente estas características que definem o mercado atual, cada vez mais dinâmico e competitivo.

O exemplo mais claro encontra-se no estudo “Soft Skills 4 talent”, elaborado pelo Manpower Group. Com a participação de mais de 3.700 empresas de 8 países europeus, esta organização líder mundial em estratégia de Talento determina que as soft skills são incrivelmente úteis para enfrentar os desafios que apresentam os diferentes sectores do mercado.

O perfil ideal do candidato soft skills

Sim, concentrar-se nas soft skills é primordial para trazer dinamismo e capacidade de adaptação ao negócio. Mas isso não significa que as habilidades técnicas (também conhecidas como hard skills) devem ser desprezadas. A chave para encontrar a melhor equipa é conseguir um equilíbrio entre as competências técnicas e as interpessoais.

Esclarecido este ponto, nas seguintes linhas esmiuçamos as qualidades que um candidato tem de ter com este tipo de habilidades. São as seguintes:

Capacidade para resolver problemas

De entre as competências mais procuradas pelas organizações, a resolução de problemas lidera a lista. De facto, o estudo realizado pela Manpower Group indica que 69% dos gerentes e responsáveis do departamento de recursos humanos valorizam esta qualidade acima de outras, como a criatividade ou a capacidade de colaboração.

Orientação para os objetivos

A segunda habilidade mais exigida é a orientação para os objetivos. 58% das empresas entrevistadas consideram que esta competência social alinha os objetivos pessoais com os organizacionais. Portanto, para fixar metas ambiciosas acima dos padrões e expectativas estabelecidas, é imprescindível contar com esta competência, fortemente ligada à iniciativa e à capacidade para a tomada de decisões acertadas

Colaboração e trabalho em equipa

A medalha de bronze em capacidades soft skills vai para a colaboração. Esta capacidade estimula a produtividade, a eficiência e a melhoria do desempenho. Atualmente, 57% das empresas consideram fundamental contar com esta habilidade.

Como se relacionam as soft skills e o sucesso empresarial

A definição do perfil soft skill que já expusemos dá-nos uma ideia. No entanto, nas linhas seguintes, fazemos uma análise detalhada de como as empresas beneficiam com profissionais que possuem este tipo de habilidades.

  • A resiliência, a flexibilidade, a capacidade de adaptação e a autonomia são qualidades próprias do perfil soft skill que ajudam em grande medida ao crescimento da produtividade e do negócio.
  • Os especialistas em seleção de pessoal estão cada vez mais focados em profissionais com inteligência situacional e emocional, com altos níveis de capacidade de aprendizagem e pensamento crítico. Estas competências ajudam a melhorar a tomada de decisões empresariais, de modo que, por exemplo, as reuniões de trabalho se tornem muito mais enriquecedoras.
  • As soft skills e a automação empresarial constituem um conjunto perfeito. Não esqueçamos que, atualmente, as habilidades sociais são cada vez mais importantes para diferenciar a automação e a inteligência artificial. Enquanto as máquinas realizam tarefas técnicas e rotineiras, as pessoas são quem deve programá-las, supervisioná-las e avaliar seu trabalho.
  • Um ativo com habilidades soft skills melhora o ambiente de trabalho. A médio prazo, a equipa estará muito mais motivada, o que garante a retenção do talento.

No recrutamento de pessoal, muitas empresas deixam de prestar atenção a uma fase vital do processo de seleção: a fase de integração do candidato. Além disso, para evitar saídas futuras, é decisiva no encaixe da cultura da empresa. Por conseguinte, será imprescindível que os departamentos de recursos humanos abandonem os métodos obsoletos de avaliação, focados nas competências técnicas, e vão mais além.

Agora, o que se deve fazer é encontrar um profissional multifacetado que, para além de dominar a técnica, saiba mover-se como peixe na água dentro do mundo das relações interpessoais.

Receba a newsletter Sage Advice

Inscreva-se para receber o boletim do Sage Advice e receba os conselhos mais recentes diretamente no seu e-mail.